Sesc SP

Esta atividade faz parte da

Do 13 ao 20 (Re)Existência do Povo Negro - Por meio de diálogos e ações reflexivas, busca o fortalecimento e o reconhecimento das lutas, conquistas, manifestações da população negra. saiba mais

IMG 8341 2019-05-14-21-27-58

Em forma de chás, banhos, garrafadas, pomadas e emplastros, as plantas ocupam um papel central nas comunidades de matriz africana, seja para o equilíbrio energético e espiritual ou para os tratamentos medicinais.
O objetivo deste encontro é compreender a função das plantas na cosmovisão afro-brasileira e apresentar aos participantes algumas variedades de ervas e suas propriedades curativas.
Nsaba / Unsaba / Insaba = folha, nos candomblés de origem bantu

Esta oficina tem como ponto de partida a compreensão de que as comunidades tradicionais de matriz africana são um espaço primordial de preservação dos saberes afrodescendentes ao longo de toda a história do nosso país, abarcando conhecimentos musicais, artísticos, filosóficos, espirituais, gastronômicos, medicinais, entre outros. A partir desta concepção vamos apresentar aos participantes a forma que essas comunidades se relacionam com a natureza e com as plantas especificamente, em sua finalidade medicinal. Serão abordadas as diferenças entre os conceitos científicos e tradicionais de catalogação e utilização das plantas; faremos identificação de qualidades de plantas; apresentaremos algumas plantas medicinais e suas finalidades e, por fim, prepararemos um banho de ervas e garrafadas que os participantes poderão levar ao final da oficina. Com Tata Jaga Anzulo, Ricardo Souza e Pedro Carlessi.

Tata Jaga Anzulo
Iniciado a mais de 20 anos no Candomblé Angola, tem o cargo de "Tata Mirô", o responsável pelas folhas dentro de um terreiro de candomblé. Trazendo um conhecimento que aprendeu desde criança com sua avó Benedita, e depois com seu zelador Tata Mona Guiamazy, Jaga Anzulo atende a toda a comunidade com chás, banhos e garrafadas medicinais. Em 2018 foi reconhecido pelo Ministério da Cultura, através do Prêmio "Leandro Gomes de Barros", como mestre da cultura popular.

Ricardo Souza
Bacharel em Ciências Sociais, produtor cultural, arte-educador e percussionista. Iniciado no Candomblé Angola por Tata Mona Guiamazy, possui uma ampla vivência em cultura popular, cultura afro brasileira e patrimônio cultural no Brasil. Atuou como Educador do Museu Afro Brasil em São Paulo. Trabalhou com salvaguarda de patrimônios de terreiro na Superintendência do IPHAN/SC, no âmbito do Mestrado Profissional em Preservação do Patrimônio Cultural - PEP/MP.

Pedro Carlessi
Farmacêutico. Mestre em Ciências pela Universidade Federal de São Paulo. Pesquisador do Centro de Estudos de Religiosidades Contemporâneas e das Culturas Negras (CERNE-USP) e SobreNaturezas (UFRGS). É docente de farmácia pelo SENAC-SP. Em sua pesquisa mais recente analisou os processos de conhecer plantas por parte das ciências botânicas e das religiosidades afro-brasileiras.

Ações para a Cidadania

Nsaba - Plantas Medicinais na Tradição Afro-brasileira 14

Essa atividade aconteceu em 15/09/2019 no Sesc Campo Limpo.

Mas nossa programação não para!
Quer fazer uma nova busca?
Clique em Programação e fique por dentro de tudo o que está acontecendo nas Unidades do Sesc em São Paulo