Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Artivismo

Em junho de 2013 o Brasil viu grandes manifestações populares – em torno de inúmeras reivindicações elas alcançaram um novo grau de cidadania e participação política e um nível inédito de inventividade.

“Diversos coletivos e grupos de artistas propuseram novas formas de participação e problematização, valendo-se de estratégias estéticas e simbólicas para amplificar suas causas, articulando-se principalmente pelo uso da tecnologia e das novas mídias. Esse momento de evidência, contudo, revelou uma vontade crescente que já ocorria nos últimos dez anos, de união entre a participação política e às ações artísticas e culturais, criando um território novo, cheio de experimentações estéticas e de linguagens.”, afirma Guilherme Leite Cunha, coordenador do curso das Oficinas de Criatividade do Sesc Pompeia.

O uso da arte em ações políticas, contudo, remonta outros períodos da história. Apesar de sua origem aristocrática, a arte desde sempre foi compreendida como uma arma capaz de influenciar o seu tempo, ao discutir visões sobre o cotidiano e propor questões à sociedade a que pertence.

Desde o século XVIII, são inúmeros os casos em que artistas assumiram posturas políticas e militantes sociais se valeram das artes como mais uma forma de manifestação. Artistas lutaram nas barricadas da Revolução Francesa e na Comuna de Paris em 1871; atuaram na Revolução Soviética de 1917 e nas vanguardas artísticas européias; criaram o muralismo latino-americano; passaram pelas revoltas de maio de 1968; e foram fundamentais para o surgimento da contracultura dos anos 70 e 80.

Em geral, todos esses movimentos possuíam em si um grau admirável de inventidade e contestação social, de rompimentos estéticos e de linguagem. Como disse o poeta russo Maiakóvski: “Sem forma revolucionária não há arte revolucionária”. Assim, ao lutar por uma nova sociedade, formas artísticas novas também foram inventadas, misturando-se a arte com a política, com o objetivo de questionar o poder vigente.

Na contemporaneidade, o uso da tecnologia e das novas mídias foi essencial para que diversos coletivos e artistas se articulassem. A internet veio a ser um instrumento de organização, troca, informação e aprendizado, sem hierarquias e monopólios e foi uma característica marcante dessa nova geração.

Em fevereiro, o Sesc Pompeia realiza um mapeamento dessa nova cena cultural, e traz, no formato de oficinas, bate-papos e encontros, discussões sobre “Artivismo” e suas consequências para a produção artística contemporânea. Artivismo é o nome dado a ações sociais e políticas, produzidas por pessoas ou coletivos, que se valem de estratégias artísticas, estéticas ou simbólicas para amplificar, sensibilizar e problematizar à sociedade, causas e reivindicações sociais. O artivista encontra na arte um convite à participação, expressando por meio de inúmeras linguagens, como a arte de rua, o vídeo, a música, a performance e a intervenção, os seus pontos de vista e leituras sobre a vida e o mundo, questionando a  sua realidade.

Ao reunir coletivos, artistas e movimentos artivistas, as Oficinas de Criatividade oferecem ao público, contato com esses criadores, para multiplicar esta nova cultura de ação política e contribuir para o desenvolvimento do público em geral, incentivando cada vez mais pessoas a se expressarem por intermédio do fazer artístico.

Será um mês inteiro de atividades variadas, desde oficinas de estêncil e encontros teórico-práticos sobre drones, passando por palestras sobre riscos da fotografia em zonas de conflito e criptografia para proteger seu computador de invasões, até técnicas alternativas de mídia e arquitetura popular. Com convidados como Bruno Torturra, da Mídia Ninja, o artista Mundano, e a rede Como Virar Sua Cidade, entre outros.

Com isso, esta será a chance de um cidadão se aprofundar em dois mundos que caminham lado a lado para que se façam ouvir: a política e a arte.

No documento a seguir, você pode ler as mini biografias dos convidados:

 

 

 

o que: Artivismo - Criações estéticas para ações políticas
quando:

1 a 27/fevereiro

onde:

Sesc Pompeia

 

Outras programações