Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Ciclo de Sensibilização para Educadores

Imagem de divulgação | Cortesia Stela Barbieri
Imagem de divulgação | Cortesia Stela Barbieri

Ação, que integra a programação do Circuito Sesc de Artes 2021 –  Praças Digitais, traz em três encontros on-line, com mediação de Stela Barbieri, reflexões teóricas e proposições práticas sobre estratégias de aplicações da arte e da cultura na reocupação das escolas após a pandemia

Após a qualificação de cerca de 900 gestores e profissionais culturais no ciclo Diálogos sobre Gestão Cultural e uma programação com mais de mil artistas em mais de 250 atividades artísticas totalmente on-line e gratuita, o Circuito Sesc de Artes 2021 – Praças Digitais chega ao fim com a realização do Ciclo de Sensibilização para Educadores. Dividida em três encontros, a ação, voltada aos professores das redes pública e particular de ensino de todas as cidades do estado de São Paulo, acontece dias 20 e 27 de outubro e 3 de novembro, quartas-feiras, às 18h, com transmissão pelo canal do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc São Paulo no YouTube (https://www.youtube.com/cpfsesc).

Em cada encontro, a artista, autora e educadora Stela Barbieri irá dialogar com três educadores e/ou artistas de diferentes lugares do Brasil, com diversas vivências, conhecimentos e locais de ação, no intuito de refletir e compartilhar formas de incorporação de manifestações artísticas como meios para reaproximar os(as) estudantes do ambiente escolar e da aprendizagem de conhecimentos significativos, colaborando com os(as) professores(as) no enfrentamento dos dos desafios da prática educativa no contexto atual. 

Além de discutir os caminhos de invenção e transformação para a educação no Brasil, os encontros on-line também trazem reflexões teóricas e proposições práticas sobre estratégias de aplicações da arte e da cultura na socialização, com o intuito de pensar novas formas de reocupar a escola após a pandemia.

"Mais de um ano após o início dessa extrema experiência coletiva global, acentuada pelos efeitos persistentes provocados pelas desigualdades socioculturais e econômicas, os âmbitos da educação e da cultura seguem essenciais para transformar os modos de viver, pensar e agir", afirma o diretor do Sesc São Paulo, Danilo Santos de Miranda. "E as artes têm uma força extraordinária para estimular essa transformação. O Ciclo de Sensibilização para Educadores, portanto, reafirma a ação do Sesc voltada à formação, ao conhecimento e a melhoria da vida dos indivíduos."

Os três encontros vão contar com recursos de acessibilidade (legendas e libras).
 

A arte como possibilidade de criação

O retorno às aulas chegou – crianças, jovens, adultos, alunos, educadores e gestores, se reencontram depois de um período de afastamento. Um novo ciclo se inicia, são partilhados esperanças e receios, reencontros, desencontros, transformações. Nesse contexto, como nos reaproximamos tendo em vista aquilo que foi vivido de maneiras tão diversas por alunos e educadores? O que aprendemos com esse período? O que não pode se repetir? O que queremos transformar? Como realizar aquilo que queremos construir? Qual a educação que queremos para o Brasil? 

O Ciclo de Sensibilização para Educadores busca investigar a retomada das aulas, como os professores podem receber e acolher os alunos dentro desse novo contexto e a arte como possibilidade de criação de outras relações e deslocamentos. O ciclo também aborda a transdisciplinaridade, os sentidos, problemas e potências do currículo e a ocupação de espaços na cidade, praças, ruas e escolas.

"A arte em convívio com a educação pode criar esse território comum, uma educação sensível aos afetos, um ecossistema de invenção e aprendizagem nos quais cada um de nós talvez precise de um método para viver sua singularidade, uma maneira única de fazer as coisas, de se organizar", sugere Stela Barbieri. "Sendo intensamente fiéis ao que nos move e aceitos em nosso modo de ser, quem sabe possamos criar um território ético comum de movências, coragem, inspirações e perceber que o que afeta um, de algum modo, afeta todos os outros, numa cadeia que ficou ainda mais perceptível com a pandemia."

Entre as diretrizes curatoriais do ciclo, Stela optou por conteúdos que despertem interesse nos profissionais da educação com incidência concreta no ambiente escolar e na sala de aula, sem se furtar do contexto atual. Outro aspecto levantado pela artista e educadora é proporcionar aproximações entre profissionais: artistas, pesquisadores e professores/educadores que vivem a realidade escolar, provocando situações e diálogos, além da criação de redes. 

Como mesclar artistas-educadores e artistas não necessariamente educadores, que tenham proximidade com diferentes territórios e infâncias e que desenvolvam em sua obra preocupações ou interfaces declaradamente engajadas com a educação também será tema abordado durante os encontros.
 

Programação

Dia 20 de outubro, quarta-feira, 18h – A invenção no cotidiano da escola e da comunidade 

Stela Barbieri convida Hermes de Souza (líder comunitário, fundador do Instituto Nova União da Arte, na Vila Nova União, região de São Miguel Paulista), Bruninho (pedagogo e gestor da Biblioteca Comunitária Caminhos da Leitura) e Vasti Ferrari (educadora, diretora de escola e atualmente Secretária de Educação do município de Jundiaí) para pensarem juntos maneiras de nos encontrar uns com os outros e criar ecossistemas de invenção e aprendizagem, ocupando espaços vazios da cidade como territórios educativos.

Dia 27 de outubro, quarta-feira, 18h – A transformação no território 

Stela Barbieri convida Pierce Willians (artista e educador), Sandra Lima (pedagoga e diretora de escola de educação infantil) e Ednéia Gonçalves (educadora e coordenadora executiva da ONG Ação Educativa) para refletir sobre o reencontro de crianças, jovens e adultos na escola depois de um longo período de afastamento. Como nos reaproximamos tendo em vista aquilo que foi vivido de maneiras tão diversas por alunos e educadores? O que aprendemos com esse período? O que não pode se repetir? O que queremos transformar? Qual a educação que queremos para o Brasil? 

Dia 3 de novembro, quarta-feira, 18h – A expressão emancipadora 

Stela Barbieri convida Edgar Gouveia Jr (arquiteto e urbanista), Fabrício Lopez (educador, artista e diretor do Instituto ACAIA) e Carmen Luz (cineasta, coreógrafa, curadora, diretora de espetáculos cênicos, dramaturga e professora). Com frequência, se dá pouca atenção para ações que estão sendo inventadas, experimentos e outros modos de existir. Neste encontro, vamos conhecer algumas ações que geram mobilização e abrem outros caminhos de ação.

 

Ciclo de Sensibilização para Educadores   
Dias 20 e 27 de outubro e 3 de novembro, quartas-feiras, 18h
Canal do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc São Paulo no YouTube
Link: https://www.youtube.com/cpfsesc 
On-line | Gratuito
Os encontros contam com recursos de acessibilidade (legenda e libras)
Duração: 60 minutos (cada encontro)
Coordenação: Stela Barbieri
Produção audiovisual: Raimo Benedetti – Estúdio B
Com: Bruninho, Carmen Luz, Edgar Gouveia Jr, Ednéia Gonçalves, Fabrício Lopez, Fernando Vilela, Hermes de Souza, Pierce Willians, Sandra Lima e Vasti Ferrari.
Mais informações no site do Circuito Sesc de Artes.

Outras programações