Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

4 motivos para assistir ao Concerto Digital da Osesp

Foto: Alessandra Fratus
Foto: Alessandra Fratus

No dia 08 de agosto, quinta, às 20h, o Sesc SP retransmite mais um concerto da Osesp - Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, diretamente da Sala São Paulo. Listamos alguns motivos pra você assistir à transmissão que, além da apresentação, conta com entrevistas e conteúdos especiais sobre o repertório do concerto.

 


Uma das mais importantes orquestras sinfônicas da América Latina, com turnês internacionais anuais e com temporadas de alto nível, buscando estreias de peças e a difusão de obras significativas para a construção desse repertório junto ao público brasileiro.

 

 

Maestro convidado: Giancarlo Guerrero (Costa Rica), regente titular da Orquestra de Nashville (EUA)

Solista convidada: Joyce Yang, pianista (Coreia do Sul)

 

O repertório traz duas peças de Jacques Offenbach (1819-1880), compositor nascido na Alemanha, mas que viveu na França. Ele era um menino prodígio do violoncelo, mas foi um compositor de operetas que se tornou rico e famoso. A orquestra vai tocar a abertura de sua primeira opereta, Orfeu no Inferno. As aberturas das óperas e operetas costumam trazer os temas que serão desenvolvidos na peça: como um grande resumo. Nesta, o tema mais famoso do autor será ouvido ao final: é o Galope Infernal, conhecido como o tema do Cancan. Da ópera Contos de Hoffman, a última obra do compositor e sua única opera seria, serão apresentados dois trechos: o Intermezzo e a também famosa Barcarolle. De Richard Strauss (1864-1949), a orquestra apresenta o poema sinfônico Morte e Transfiguração, de 1889. Poemas sinfônicos são peças instrumentais que se baseiam em obras literárias. A mais famosa de Strauss é Also Sprach Zarathustra (Assim Falou Zarathurstra), sempre lembrada pela icônica cena de 2001: Uma Odisseia no Espaço. Nesse caso, foi o contrário – após a composição, o poeta Alexander Ritter escreveu um poema sobre a temática da obra: a morte de um artista. Informação importante: ele não é compositor das famosas valsas vienenses de Strauss – este é outro compositor, Johann Strauss, austríaco. Para a solista, a orquestra faz o Concerto Para Piano Nº 3, de Sergei Prokofiev (1891-1953). Nascido numa aldeia na Ucrânia, na época parte do Império Russo, também foi um menino prodígio: sua primeira ópera foi composta aos 9 anos de idade. Ficou conhecido pelas peças com forte caráter nacionalista, balés, óperas e sinfonias, e pela peça Pedro e o Lobo, na qual apresenta os instrumentos da orquestra por meio de uma fábula para crianças. O concerto que ouviremos foi escrito em um período de 8 anos e finalizado quando tinha 30 anos. Na estreia mundial, em Nova Iorque (1922), foi o próprio compositor que tocou o piano.


É uma das mais importantes salas de concerto do mundo.
Fez 20 anos no dia 9 de julho.
Tem placas no teto que são móveis para adequar a acústica da sala dependendo do tipo de grupo e de música.

 

A série de transmissões da Temporada 2019, que teve início em março, com o primeiro concerto da orquestra, marca mais uma ação da longa parceria entre o Sesc e a Osesp. Além do concerto do dia 08 de agosto, o Facebook do Sesc SP terá ainda a trasmissão ao vivo do encerramento da temporada, em 12 de dezembro. Acompanhe em fb.com/sescsp.

Para mais informações sobre esses e outros concertos, acesse o site da Osesp.

Outras programações