Sesc SP

Esta atividade faz parte da

Contextos - Atividades relacionadas ao campo da cultura, política pública, diversidade, identidade, economia da cultura e economia criativa. saiba mais

Banner Portal

Com o tema “Aprender em Língua Portuguesa”, o 3º Seminário da Comissão para Promoção de Conteúdo da Língua Portuguesa (CPCLP) destaca o educar em português nos países e nas comunidades que adotam a língua, dando visibilidade a ações educativas e pesquisas acadêmicas que abordam o assunto dentro dos segmentos da educação, da literatura e da comunicação.

21/11 – Quinta-feira

10h às 11h – Abertura
Jorge Carlos Fonseca - presidente da República de Cabo Verde.
Paulo Jorge Pereira Nascimento, consul geral de Portugal em São Paulo
Danilo Santos de Miranda - diretor regional do Sesc São Paulo
Vitor Tavares – presidente da Câmara Brasileira do Livro

11h às 12h – Palestra: Literaturas em língua portuguesa na África: pontos para um debate
Com Rita Chaves, professora de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa no Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Chaves também é pesquisadora do Celp (Centro de Estudos das Literaturas e Culturas de Língua Portuguesa) da mesma instituição.

12h às 13h – Almoço

13h30 às 15h – Comunicações 1 e 2

Comunicação 1 – A literatura dos países africanos de língua portuguesa: ensino, debates e perspectivas (Eixo Literatura)
A partir de um recorte que contempla momentos fundamentais da produção contemporânea africana em língua portuguesa, propõe-se pensar os cruzamentos entre identidades regionais e nacionais, representação ficcional e educação nas obras escolhidas.

Trabalhos
1- E o presente se faz transparente: breve análise do aspecto temporal em Os transparentes de Ondjaki Matheus Vieira dos Santos (USP).
2- A literatura angolana em sala de aula: um olhar voltado para Mayombe, de PepetelaDébora Cristina Longo Andrade (Mackenzie).
3- Língua portuguesa e as múltiplas identidades nas literaturas africanas: do coloquial ao nacional e transnacional Everton Fernando Micheletti (USP).
4- A literatura moçambicana e o realismo animista como fortalecimento da identidade nacional de Mia CoutoMayara Ranieri Paschoal (Mackenzie).

Comunicação 2 – Contemporaneidade e educação na comunicação (Eixo Comunicação)
Cada vez mais, novas tecnologias fazem parte dos processos de ensino e aprendizagem em sala de aula. As pesquisas propostas pensam os desafios da educação no século XXI através de um diálogo interdisciplinar entre Comunicação, Pedagogia e Letras.

Trabalhos
1- A virada ética por meio da propaganda: uma análise discursiva – Edgar Godoi Gabriel
(sem vínculo).
2- Crianças invisíveis: comunicação, linguagem, cidadania e poder no jornalismo infanto-juvenil – Sabrina Cancoro Generali Clemente (ESPM).
3- O jornal e a literatura de rodapé: o estudo das narrativas folhetinescas como exercício reflexivo e criativo em sala de aula – Ana Gabriela Dickstein Roiffe (UFF).
4- Do culto à cultura: imaginário, educação e língua no colégio republicano paulista – Giovana Ike Coan (USP).

15h às 16h30 – Comunicações 3 e 4

Comunicação 3 – Estruturas narrativas em prosa e poesia (Eixo Literatura)
Entre o modernismo e a contemporaneidade, os trabalhos pensam estratégias de construção de narratividade na literatura brasileira e portuguesa.

Trabalhos
1- Hospedar-se em Um quarto em Atenas: um olhar atento para a poesia de Tatiana Faia – Luiz Fernando Queiroz Melques
(USP).
2- Memória: costumes e topônimos em Baú de Ossos, de Pedro Nava – Antonio Rafael Marçal da Silva (USP).
3- Eu, estilhaço e luz: considerações sobre o narrador de “O miúdo que pregava pregos numa tábua”, de Manuel Alegre – Harini Abja Kaneshiro (PUC-RS).
4- Masculinidades na literatura brasileira: o que podemos ensinar/aprender em A hora e a vez de Augusto Matraga de João Guimarães Rosa – José Flávio da Paz (Unemat).

Comunicação 4 – Práticas de leitura em sala de aula I (Eixo Educação)
A proposta da mesa consiste em debater diferentes competências na formação de leitores que estejam aptos a compreender e produzir textos de diferentes registros e domínios discursivos.

Trabalhos
1- Literatura de Cordel – Sandra Trabucco Valenzuela
(USP).
2- Análise discursiva em texto acadêmico: qual imagem o emissor apresenta do objeto? – Natália Penitente Andrade (USP).
3- Multiletramentos na educação de jovens e adultos – Talita Yosioda Collacio (USP).
4- Leitura de mídia e pesquisa: as habilidades e os campos de atuação social para o ensino de língua portuguesa – Edson Roberto Lanzoni (PUC-SP).

16h30 às 18h – Mesa literária

Encontro com Djaimilia Pereira de Almeida.

Djaimilia Pereira de Almeida (n. 1982) é autora de quatro livros: Esse cabelo, Ajudar a cair, Luanda, Lisboa, Paraíso e Pintado com o pé.

Publicou no Blog da Companhia das Letras, em Granta.com, e nas revistas Granta Portugal, Ler, Revista Pessoa, Quatro Cinco Um, Revista serrote, Words Without Borders, Revista Zum, entre outras.

Mediação: Cristhiano Aguiar, escritor, crítico literário e professor do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Escreve resenhas para a revista Pessoa e para o Suplemento Pernambuco. Em 2018 lançou o livro de contos  Na outra margem, o Leviatã (Lote 42).


22/11 – Sexta-feira

10h às 11h30 – Mesa: Instituto Guimarães Rosa e Instituto Camões – convergências e linhas de ação

Mediação: Francis Manzoni.

O propósito desse encontro é abordar possíveis pontos de convergência entre o Instituto Camões, órgão ligado ao Ministério dos Negócios Estrangeiros do Governo de Portugal, criado para a promoção da língua e da cultura portuguesa no exterior, e o Instituto Guimarães Rosa, criado pelo Itamaraty com o objetivo de divulgar a cultura brasileira e de ensinar a língua portuguesa em sua vertente brasileira no exterior.

Com Alexandra Pinho, diretora do Instituto Camões CCP – Brasília, e Paula Alves de Souza, representante do Ministério das Relações Exteriores e Diretora do Departamento Cultural do Itamaraty.

Francis Manzoni, historiador, coordenador editorial nas Edições Sesc São Paulo e  coordenador da Comissão para Promoção para Conteúdo em Língua Portuguesa da CBL.

11h30 às 13h – Comunicações 5 e 6
Comunicação 5 – Práticas de leitura em sala de aula II (Eixo Educação)

A proposta da mesa consiste em debater diferentes competências na formação de leitores que estejam aptos a compreender e produzir textos de diferentes registros e domínios discursivos.

Trabalhos
1- A trajetória do projeto sala de leitura na rede municipal de ensino de São Paulo – Mônica Fátima Valenzi Mendes
(PUC-SP).
2- Os gêneros textuais no cotidiano e o mundo tecnológico – Erika Salgado (USP), Arianne Reis Matos (USP), Christina Batista Juliano (PUC-SP), Matheus da Costa Nunes (Mackenzie).
3- Um olhar dos estudos lusófonos na sala de aula – Renata R. Rodrigues (Mackenzie).
4- PNLD literário para o ensino médio: alternativas de estudo do texto literário em sala de aula – Dayse Oliveira Barbosa (USP).

Comunicação 6 – Literatura e identidades (Eixo Literatura)
Identidade, negritude e representação literária perpassam as reflexões dessa mesa temática, que propõe pensar relevantes expressões literárias portuguesas e africanas de língua portuguesa.

Trabalhos
1- Uma leitura do romance Mulheres de cinza a partir do conceito Bakhtiniano de estilo – Camila Cesário Lérco
(PUC-SP).
2- A rediscussão da portugalidade em A máquina de fazer espanhóis, de Valter Hugo Mãe – André Souza Silva (USP).
3- Sobre os mecanismos de opressão aos corpos negros e brancos no período do colonialismo português em Moçambique, no Caderno de memórias coloniais, de Isabela Figueiredo – Fabrizio Uechi (USP).
4- Autorias negras no Portugal contemporâneo – Bianca Mafra Gonçalves (USP).

13h às 14h30 – Almoço

14h30 às 16h – Apresentação do livro Ecos do Brasil, organizado pelo professor Benjamin Abdala Júnior e publicado pelas Edições Sesc São Paulo
Em edição revista e ampliada, o livro Ecos do Brasil: Eça de Queirós, leituras brasileiras e portuguesas reúne nove artigos de estudiosos brasileiros e portugueses sobre a obra do escritor. Na segunda parte, apresenta uma antologia de textos não ficcionais do autor, organizadas pelo docente português Carlos Reis. A obra conta, ainda, com uma breve cronologia e caricaturas de Eça de Queirós.

16h às 17h30 – Comunicações 7 e 8

Comunicação 7 – A língua portuguesa em suas múltiplas realizações: processos migratórios, herança, interculturalidade (Eixo Educação)
As pesquisas acolhidas na presente mesa temática compartilham investigações sobre a língua portuguesa em contextos migratórios e globalizados, trazendo à tona a relevância política do debate político para a contemporaneidade.

Trabalhos
1- Estratégias para o desenvolvimento da habilidade oral em turmas mistas de língua portuguesa: o ensino diferenciado para falantes de herança – Eugênia Fernandes
(University of California).
2- Português como língua de acolhimento: relato de experiência do programa de ensino de português para refugiados da UFABC – Mariana Eunice Alves de Almeida (sem vínculo).
3- Língua portuguesa como herança: um estudo do caso nipo-brasileiro – Pedro Augusto Zambon (Mackenzie).
4- O português falado no Suriname (PFS): um estudo inicial sobre a fala espontânea de brasileiros em Paramaribo – Antonio Lorenzo Dormal Calleja (USP).

Comunicação 8 – Linguagens na literatura contemporânea e moderna (Eixo Literatura)
Entre gêneros ficcionais e gêneros não ficcionais, como a crônica e o ensaio, os trabalhos se propõem a pensar o entrecruzamento de linguagens em literaturas de expressão portuguesa.

Trabalhos
1- A língua como um problema crítico em Anseios crípticos (1986) de Paulo Leminski – Keissy Guariento Carvelli
(Unesp-Assis).
2- Personagens migrantes atravessadas pela língua portuguesa de uma ponta a outra da América – Giselle Rodrigues Ribeiro
(Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira).
3- Metajornalismo e um Brasil a ser descoberto em crônicas de Lima Barreto – Clara Ávila Ornellas (USP).
4- Humanidade configurada no aprisionamento tecnológico: sobre as dimensões da liberdade em O aquário de Alice Sampaio – Graziela Camapana Drago (USP).

17h30 às 19h – Mesa: prêmios e homenagens – o valor do reconhecimento literário
Com a escritora Conceição Evaristo, homenageada pelo Prêmio Jabuti em 2019,
Mediação: Guilherme Sobota,

Os prêmios literários têm como objetivo a promoção e o reconhecimento dos escritores e suas obras. Essa mesa propõe refletir sobre o impacto das premiações na imprensa, no público leitor e na trajetória dos autores.

Conceição Evaristo nasceu numa favela da zona sul de Belo Horizonte. Teve que conciliar os estudos com o trabalho de empregada doméstica até concluir o curso Normal, em 1971, já aos 25 anos. Mudou-se então para o Rio de Janeiro, onde passou num concurso público para o magistério e estudou Letras na UFRJ. Estreou na literatura em 1990, com obras publicadas na série Cadernos Negros. É mestra em Literatura Brasileira pela PUC-Rio e doutora em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Suas obras, em especial o romance Ponciá Vicêncio (2003), abordam temas como a discriminação racial, de gênero e de classe. A obra foi traduzida para o inglês e publicada nos Estados Unidos em 2007.

Guilherme Sobota é jornalista e repórter do “Caderno 2” do Estadão. Escreve e produz conteúdo multimídia sobre literatura, mercado editorial, música e assuntos culturais em geral.

(Arte: Divulgação)

Literatura

3º Seminário A Língua Portuguesa na Educação, na Literatura e na Comunicação – Aprender em Língua Portuguesa

Classificação etária: Acima de 16 anos

Sesc Centro de Pesquisa e Formação ver no mapa

21/11 A 22/11

QUI, SEX
10H ÀS 19H30
  • Grátis

*21/11 e 22/11